Quando e como começar a Introdução Alimentar?

Introdução Alimentar: como começar

Com o avanço das pesquisas sobre saúde e desenvolvimento infantil, muitas orientações sobre Introdução Alimentar foram atualizadas nos últimos anos.

Ao ler esse artigo você descobrirá o que é necessário para começar a Introdução Alimentar, quando e como começar, o que deve ter na papa do bebê e como preparar a papa.

Mas antes de iniciar é preciso saber se o bebê apresenta os sinais de prontidão e se está preparado para receber alimentos sólidos.

Quais são os sinais de prontidão?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomendam iniciar a Introdução Alimentar somente a partir dos 6 meses de idade.

No entanto, o desenvolvimento dos bebês nem sempre ocorre como um padrão e alguns bebês podem demorar um pouco mais para apresentar os sinais de prontidão.

Além dos 6 meses de idade o bebê também deve apresentar outros 5 sinais antes de iniciar a Introdução Alimentar, são eles:

  • Sentar-se com pouco ou nenhum apoio;
  • Manter a cabeça firme;
  • Demonstrar interesse pela comida;
  • Levar objetos à boca;
  • Ter menos movimentos de empurrar a língua para fora da boca.

Quando o bebê apresenta todos esses sinais significa que ele está pronto para comer, com isso ele terá mais habilidade e segurança, fazendo da Introdução Alimentar um momento mais tranquilo para a família e para o bebê

É importante frisar que para bebês prematuros devemos considerar a idade corrigida além dos demais sinais de prontidão. 

O que é necessário para começar a Introdução Alimentar?

Cadeirão, babador, colher, pratinho são itens importantes para adquirir antes de começar a Introdução Alimentar, inclusive já escrevi em detalhes sobre os Acessórios para Introdução Alimentar.

No entanto isso não é o mais importante!

Em primeiro lugar a família precisa ter paciência e tranquilidade para que a Introdução Alimentar aconteça de forma lenta e gradual respeitando sempre o apetite do bebê.

Até 1 ano de vida o leite materno ou a fórmula infantil são a base da alimentação do bebê, desta forma os alimentos podem ser incluídos sem pressa e sem preocupações em relação as quantidades.

Nesse período a aceitação alimentar pode variar muito e os bebês podem comer bem pouquinho principalmente no começo.

A experiência proporcionada ao bebê durante a refeição é que vai determinar o sucesso da Introdução Alimentar.

O ideal é que o bebê tenha no momento das refeições um ambiente agradável, por isso converse com ele, comam juntos, deixem ele interagir e conhecer os alimentos.

Isso ajudará o bebê a aprender a comer, auxiliando no seu desenvolvimento e na construção de uma relação positiva com a comida.

Afinal, quando a família tem um olhar mais ampliado sobre o processo da Introdução Alimentar todos curtem mais essa fase de uma forma mais leve e tranquila.

Como começar a Introdução Alimentar?

Os bebês já nascem sabendo gostar do sabor doce, os demais sabores como azedo, amargo e salgado são aprendidos.

Por isso eles são mais propícios a aceitar frutas primeiro, principalmente as mais macias.

No entanto, não há problema em iniciar a Introdução Alimentar com legumes antes ou em conjunto com as frutas.

A única recomendação é evitar frutas com altos teores de agrotóxicos no início, como o morango.

A minha sugestão é: sempre que possível, dê preferência para as frutas da época ou orgânicas.

Frutas indicadas para bebês de 6 meses

Principalmente durante as primeiras semanas, é indicado oferecer frutas macias ao bebê, como:

  • Laranja;
  • Abacate;
  • Banana;
  • Maçã;
  • Mamão;
  • Manga;
  • Pera.

Não se esqueça: as frutas podem ser dadas ao bebê cortadas em pedaços (seguindo os cortes BLW), raspadas (no caso da maçã e da pera), ou amassadas com o garfo.

O que deve ter na papa do bebê?

Para que a papa do bebê fique completa ela precisa conter 1 alimento de cada grupo alimentar.

pratinho-alimentos--introducao-alimentar

No entanto, durante o início da Introdução Alimentar dificilmente o bebê aceitará todos esses alimentos em uma refeição, afinal de contas ele está conhecendo os alimentos agora e tudo ainda é novidade para ele.

Então você pode começar por 3 alimentos de grupos diferentes e ao longo das semanas ir incluindo novos alimentos até chegar nos 5.

Dessa forma a Introdução Alimentar é feita de maneira gradativa e com menor desperdício de alimentos.

Por volta de 7 meses quando o bebê já estiver mais familiarizado com os alimentos, é necessário que o pratinho do bebê contenha um alimento de cada grupo alimentar.

Tabela Grupos Alimentares:

Grupo AlimentarExemplos de Alimentos
ProteínasCarne vermelha, frango, peixe, ovo ou filé de carne suína magra
LegumesCenoura, berinjela, abobrinha, chuchu, beterraba, abóbora, brócolis
CarboidratosBatata doce, mandioca,  mandioquinha, cará, inhame
VerdurasEspinafre, agrião, rúcula, salsa
Leguminosas secasOs mais variados tipos de feijões, lentilha, ervilha, grão de bico.

Como preparar a papa

O preparo das papas requer planejamento e organização, então sugiro que você monte um cardápio semanal com a combinação das papas.

Se atente em deixar esse cardápio colorido, variado e com alimentos que façam parte do hábito alimentar da família para otimizar o seu tempo na cozinha.

Com o cardápio em mãos pense em temperos naturais que possam agregar sabor e aroma a papa do bebê, se tiver dúvidas o artigo Temperos na Introdução Alimentar poderá lhe ajudar.

Os alimentos podem ser feitos de diversas maneiras, seguem algumas sugestões:

Carnes

Carnes vermelhas magras, lombo e filé mignon suíno, sobrecoxa e filé de frango podem ser refogados em panela com azeite e temperos naturais.

Quando a carne estiver grelhada acrescente água, feche a tampa e deixe cozinhar sob pressão por alguns minutos a depender do tipo de carne (varia entre 20-40 minutos).

Depois leve até a tábua de corte e desfie bem a carne.

O caldo do cozimento deve ser utilizado para deixar a papa bem macia e molhadinha.

Filés de peixes podem ser refogados ou assados e depois desfiados.

Ovos podem ser oferecidos cozidos, mexidos ou em forma de omelete.

Legumes

Os legumes devem ser cozidos preferencialmente no vapor, diminuindo assim a perda de vitaminas e minerais.

Também podem ser feitos no forno ou refogados com pequena quantidade de água.

Já a beterraba deve ser cozida com casca em panela de pressão por cerca de 30 minutinhos e água do cozimento deve ser desprezada.

Tubérculos

Os tubérculos devem ser cozidos com água em panela de pressão, no vapor ou assado.

A mandioca por ser mais dura deve ser feita na panela de pressão.

Verduras

As verduras podem ser cozidas em panela de vapor (que preserva melhor os nutrientes) ou refogadas com um pouco de azeite e alho, por exemplo.

Todas as verduras devem ser cortadas em fatias bem fininhas nos dois sentidos antes de serem oferecidas ao bebê.

Oferecer folhas em pedaços maiores aumenta o risco de engasgo, mesmo que o método escolhido seja o BLW.

Bebê Comendo Bem

Leguminosas secas

Leguminosas secas requerem um pré-preparo para melhorar o processo de digestão.

Recomenda-se deixar as leguminosas de molho de 8 a 12 horas antes de serem cozidas.

Após esse procedimento a água deve ser desprezada e a leguminosa deve ir ao fogo em panela de pressão com uma nova água.

Em seguida podem ser refogadas com temperos naturais de sua preferência.

Se quiser saber mais sobre Introdução Alimentar conheça o curso Bebê Comendo Bem e tenha acesso aos conteúdos exclusivos e tire todas suas dúvidas com a Nutricionista Infantil Paula Stancari.

Gostou do conteúdo?

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paula Stancari

Paula Stancari

Nutricionista Especialista em Nutrição Materno Infantil e em Saúde da Família, tutora de Aleitamento Materno pelo Ministério da Saúde e mestranda pela UNIFESP

Perfil

Receba as novidades

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn