A Restrição de Crescimento Intrauterino (RCIU) pode ser influenciada por diversos fatores, incluindo causas genéticas, placentárias, fetais e nutricionais.

Entretanto, quando a RCIU surge após 32 semanas de gestação, é provável que a causa esteja associada à alimentação da mãe, pois à medida que o bebê se desenvolve, suas demandas por nutrientes aumentam, mas nem sempre a alimentação materna está adequada para acompanhar esse crescimento.

Nesses casos, alguns ajustes na alimentação podem reverter esse cenário e favorecer o crescimento e desenvolvimento adequado do bebê:

1.   Garanta o consumo adequado de Proteínas

Durante a gestação, as necessidades de proteínas aumentam a cada trimestre, proporcionando o crescimento adequado do bebê.

Caso o consumo de proteína seja insuficiente, o bebê pode ter seu crescimento prejudicado, resultando na RCIU.

Além disso, esse aporte adicional é fundamental para a formação da placenta, tecido mamário e uterino.

No entanto, aumentar a ingestão de alimentos ricos em proteínas durante a gestação pode ser desafiador, já que a digestão fica mais lenta, resultando na diminuição do consumo de alimentos ricos em proteínas como carnes, leite, feijões e queijos.

Em alguns casos, a suplementação com Whey Protein pode ser uma boa opção para garantir o aporte adequado de proteínas.

2.   Adeque o consumo de nutrientes

Manter os níveis de homocisteína (aminoácido que está naturalmente presente no corpo) sob controle reduz os riscos de RCIU.

Por isso, o ideal é manter níveis adequados de nutrientes no organismo, como colina, vitamina B2, vitamina B12 e zinco.

Além disso, manter os níveis de vitamina D acima de 30 ng/mL diminui o risco de baixo peso ao nascer.

Logo, é importante que você realize uma avaliação detalhada dos níveis de vitaminas e minerais durante a gestação.

3.   Mantenha os Níveis Adequados de Ferro durante toda gestação

Durante a gestação, o corpo da gestante precisa de mais ferro para a construção de tecidos, aumento do volume sanguíneo e o bom desenvolvimento do bebê. 

Por isso, a garantia de níveis adequados de ferro e ferritina (mínimo de 70 ng/mL) é essencial para prevenir comprometimentos no desenvolvimento fetal e cerebral, bem como para evitar a RCIU.

No entanto, mesmo com uma alimentação rica em ferro (carnes, feijões e folhas verdes escuras), não é possível atingir as recomendações para essa fase, tornando a suplementação indispensável.

4.   Use suplemento de arginina com orientação profissional

Estudos recentes mostram que a suplementação de arginina durante a gestação pode ajudar a reduzir a inflamação e facilitar a passagem de nutrientes e líquidos necessários da placenta para o bebê, contribuindo com o crescimento fetal.

Mas atenção: esse suplemento só deve ser utilizado após a avaliação do seu médico ou nutricionista.

5.   Restrinja o consumo de Cafeína

De acordo com um estudo publicado na Revista Trends in Endocrinology & Metabolism, o uso excessivo de cafeína durante a gestação pode resultar em diversos problemas para o bebê, entre eles a RCIU.

Inclusive, no artigo Gestante pode tomar café? eu escrevi com mais detalhes sobre os alimentos que contém cafeína e os riscos do consumo em excesso durante a gestação.

Portanto, é fundamental evitar o consumo de alimentos que contenham cafeína, como por exemplo: café, chá preto, refrigerantes escuros, chimarrão entre outros.

6.   Estilo de Vida Saudável

Dormir adequadamente favorece a produção de melatonina, substância que desempenha um importante papel na saúde placentária, contribuindo para uma boa transferência de nutrientes e oxigênio para o bebê.

Além disso, é importante que você fique mais tranquila, diminua os fatores que provocam estresse e realize exercícios físicos adequados durante a gestação, pois isso favorece o ganho de peso adequado do bebê.

7.   Consulte uma nutricionista especializada em gestantes

A nutrição desempenha um papel fundamental no cuidado com a RCIU, e as necessidades nutricionais, além de serem diferentes para cada pessoa, precisam ser ajustadas ao longo da gestação.

Caso você tenha recebido a notícia de que o crescimento do seu bebê não está seguindo o esperado, uma nutricionista especializada em gestantes, com experiência em casos de Restrição de Crescimento Intrauterino (RCIU), é a profissional mais adequada para lhe ajudar a reverter esse quadro.

Artigos Relacionados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Equipe Nutricionistas Paula Stancari Nutrição Materno Infantil

Paula Stancari Nutrição Materno Infantil

Especialistas em alimentação de gestantes, gestação saudável, diabetes gestacional e gestação de risco

Receba as novidades

Compartilhe

Facebook
WhatsApp