Peixe na Introdução Alimentar

peixe-introducao-alimentar-bebe

O peixe é um alimento extremamente nutritivo, macio e de fácil preparo, ideal para oferecer aos bebês durante a Introdução Alimentar.

Por muitos anos o peixe foi o último alimento a ser oferecido ao bebê, por ser considerado um alimento potencialmente alergênico, mas hoje em dia as recomendações mudaram.

Neste artigo vou detalhar o momento ideal para incluir o peixe na alimentação do bebê, como escolher, armazenar, preparar e como oferecer ao bebê, além da frequência semanal que o peixe deve estar presente no cardápio.

Quando começar a oferecer peixe durante a Introdução Alimentar?

No último Consenso Brasileiro sobre alergia alimentar, a Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia recomendou que a introdução do peixe seja realizada entre 6 e 9 meses de idade do bebê.

Essa mudança na recomendação foi devida a chamada janela imunológica, que é conhecida como uma fase em que o organismo do bebê apresenta uma proteção contra alergias de alimentos considerados mais alergênicos, como o peixe.

Na prática, se a família não oferecer o peixe nessa fase, poderá aumentar o risco de alergias alimentares, uma vez que o bebê não será exposto no momento oportuno.

Como escolher e armazenar o peixe para o Bebê na Introdução Alimentar?

Ao adquirir os peixes, devemos escolher a princípio os filés ou postas, como por exemplo tilápia, merluza, pescada, cação, atum fresco, linguado, pirarucu e salmão, pois não tem espinhos pequenos que podem machucar a boquinha do bebê.

No entanto, o atum fresco e o cação são apontados como peixes que podem reter mais mercúrio, portanto esses tipos de peixes podem ser oferecidos esporadicamente ao bebê.

Na hora de comprar peixes dê preferência aos congelados, pois por ser um alimento extremamente perecível, se estraga com muita facilidade e quanto menor a temperatura de armazenamento maior será o prazo de validade.

As dicas a seguir podem lhe auxiliar nas compras:

  • Evite ao máximo comprar peixes na feira, pois ficam expostos sem a devida refrigeração e na presença de moscas e outros agentes, como saliva e poluição;
  • O odor do peixe deve ser característico, porém suave, sem ser desagradável;
  • Quando o peixe está com cheiro forte ou parecido amônia, é um sinal que já está em estado de decomposição e impróprio para o consumo;
  • Além disso , ao  adquirir  o peixe em filés ou postas a sua carne  deve estar bem firme e elástica.

Após o descongelamento, os peixes devem ficar armazenados na prateleira mais alta da geladeira, onde a temperatura é menor.

Se optar por mantê-lo congelado, lembre-se que o prazo de validade é de 3 meses (in natura ou já preparado).

Como preparar o peixe para o Bebê na Introdução Alimentar?

Peixe-grelhado-bebe-introducao-alimentar

Existem quatro formas de preparar o peixe para o bebê durante a Introdução Alimentar: cozido, assado, grelhado e refogado.

Vale ressaltar que peixe cru não pode ser oferecido ao bebê até os 2 anos de idade devido ao risco de contaminação.

Para preparar peixe cozido, basta fazer um molho com tomates naturais bem maduros e temperos naturais ou acrescentar um Caldo Aromático.

Quando o molho estiver pronto, você pode acrescentar as postas ou filé de peixe.

O ideal é tampar a panela e após 8 à10 minutinhos o peixe estará pronto para oferecer ao bebê.

Na versão assado, o peixe pode ser feito tanto em forma de vidro ou antiaderente com os temperos de sua preferência (desde que sejam naturais).

Basta untar a forma com um pouco de azeite e colocar em forno pré-aquecido durante 25 a 30 minutos e está pronto.

Para o peixe grelhado, basta temperar o filé com temperos naturais (exemplo alho e coentro), aquecer a panela (antiaderente ou de ferro), untar com uma fina camada de óleo (só para não grudar) e colocar o filé temperado ou em tiras.

Nessa versão é importante que não fique aquela casquinha queimada, pois pode causar desconforto na boquinha do bebê.

Já na versão refogado, o peixe poderá ser feito com azeite e temperos naturais e refogado em panela antiaderente.

Como a carne do peixe é bem macia ele já ficará bem desfiadinho.

Como oferecer o peixe ao Bebê na Introdução Alimentar?

Por ser um alimento bem macio, normalmente o peixe tem boa aceitação durante a Introdução Alimentar.

A forma mais fácil de oferecer peixe aos 6 meses é desfiado com o garfo.

Caso a família opte pelo método BLW/BLISS, o peixe poderá ser oferecido cortado em tiras ou no formato de bolinho, como por exemplo bolinho de peixe com batata e cebolinha.

Aos 9 meses, idade em que a maioria das crianças desenvolve o movimento de pinça, o peixe poderá ser oferecido nas diversas versões em pequenos pedaços (cozido, assado, grelhado e refogado).

Com qual frequência devo oferecer peixe ao Bebê?

O peixe é um alimento rico em proteínas, ferro, zinco, fósforo e vitaminas do complexo B, principalmente a B12.

Alguns peixes, como o atum fresco, também podem conter ômega 3, o qual auxilia na formação cerebral do bebê.

Com isso, a recomendação é oferecer peixe ao bebê no mínimo 2 vezes por semana, podendo estar presente até mais vezes.

Em caso de dúvidas durante a Introdução Alimentar do seu bebê, procure um Nutricionista Materno Infantil.

introducao-alimentar-bebe-comendo-bem

Gostou do conteúdo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paula Stancari

Paula Stancari

Nutricionista Materno Infantil Especialista em Fertilidade, Lactantes, Gestantes, Bebês, Crianças, Adolescentes e Introdução Alimentar

Receba as novidades

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn