Microbiota Intestinal nos primeiros 1000 dias de vida do bebê

Microbiota-intestinal-bebe

Durante os primeiros mil dias de vida do bebê (270 de gestação e os dois primeiros anos de vida), a microbiota intestinal tem um papel fundamental, pois os tipos de bactérias que colonizam o intestino serão importantes no desenvolvimento do sistema imunológico e metabólico do bebê.

Se durante essa fase a microbiota intestinal do bebê estiver em desiquilíbrio, aumentam as chances de desenvolvimento de cólica neonatal, alergias alimentares, constipação intestinal, obesidade e problemas relacionados com a imunidade.

Nesse artigo você vai descobrir quando começa a formação da microbiota intestinal e  porque a amamentação  e a alimentação complementar são tão importantes nesse período.

Quando começa a formação da Microbiota Intestinal do bebê?

começo-microbiota-intestinal-bebe

Antigamente se achava que o intestino do bebê nascia estéril, ou seja, sem bactérias. No entanto, atualmente já se sabe que essa colonização começa desde o útero materno.

Isso ocorre porque enquanto o bebê está na placenta ele fica em contato o tempo todo com o líquido amniótico, o qual possui bactérias do intestino materno.

Vale frisar que o uso de antibióticos ou medicamentos para controlar o pH ácido do estômago durante a gestação pode gerar um desequilíbrio no crescimento dessas bactérias.

Caso isso aconteça, o bebê poderá desenvolver a conhecida “Disbiose Intestinal”, ou seja, um desequilíbrio da microbiota.

No entanto, quando a alimentação durante e gestação é saudável e rica em alimentos com fibras, pobre em gorduras saturadas e açúcares, o equilíbrio intestinal é favorecido.

Outra estratégia bastante utilizada é a suplementação de probióticos, que são microrganismos vivos que ajudam a equilibrar a microbiota intestinal da mãe e do bebê.

Amamentação e microbiota intestinal

Amamentação e microbiota intestinal

Após o nascimento do bebê, durante a amamentação ocorre a translocação de bactérias do intestino da mãe para o leite materno.

Portanto, a dieta materna continua sendo essencial para construção de uma microbiota intestinal saudável do bebê.

Se por algum motivo a mãe não puder amamentar o bebê no peito, pode ser necessária uma suplementação com probióticos, mas isso vai depender da conduta do pediatra ou nutricionista materno infantil que acompanha o bebê.

Isso ocorre porque as fórmulas infantis não possuem probióticos, pois como elas precisam ser preparadas com água quente, a alta temperatura eliminaria os probióticos.

A importância da Introdução Alimentar para a microbiota intestinal do bebê

Nutricionista materno infantil On-line

Durante o período da Introdução Alimentar (por volta dos 6 meses de idade até os 2 anos), os bebês devem ser expostos a uma dieta diversificada e que favoreça a ingestão de nutrientes importantes para formação da microbiota intestinal.

Nesta fase é contraindicado a introdução de alimentos industrializados, como papinhas prontas e açúcar, pois eles favorecem o crescimento de bactérias ruins e alteram a microbiota intestinal do bebê.

Neste período é indicado oferecer ao bebê somente alimentos naturais, preferencialmente orgânicos e nunca batido no liquidificador ou passado na peneira.

Espero que essas informações lhe ajudem nesse período tão importante da sua vida e do seu bebê.

Em caso de dúvidas procure um Nutricionista Materno Infantil.

Gostou do conteúdo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paula Stancari

Paula Stancari

Nutricionista Materno Infantil Especialista em Fertilidade, Lactantes, Gestantes, Bebês, Crianças, Adolescentes e Introdução Alimentar

Receba as novidades

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn