Como evitar a Constipação Intestinal nos bebês durante a Introdução Alimentar

Constipação em bebês

A constipação em bebês é uma das queixas mais comuns dos pais assim que se inicia a Introdução Alimentar. A constipação também pode ser chamada de intestino preso e isso acontece por diferentes causas.

Uma dessas causas é devido ao bebê receber apenas líquidos, seja ele leite materno ou fórmula infantil.  

A partir do processo de Introdução Alimentar, o bebê passa a consumir alimentos sólidos, fazendo com que a consistência das fezes comece a se modificar.

Neste artigo serão mostradas dicas importantes para evitar a constipação intestinal em bebês durante esse processo de Introdução Alimentar e como diminuir esses sintomas.

Qual quantidade de água o bebê deve tomar por dia?

A água é uma substância indispensável para o funcionamento do intestino, pois ela promove a hidratação adequada das paredes intestinais e auxilia na movimentação das fezes.

Qual quantidade de água o bebê deve tomar por dia?

Assim, um corpo bem hidratado possui menos riscos de apresentar constipação e formação de gases. Além disso, a água é importante no momento de hidratação das fibras, pois quando elas ficam hidratadas, elas incham e aumentam o volume das fezes, tornando-as macias e facilitando a evacuação.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), um bebê com idade entre 7-12 meses, deve tomar por volta de 800 ml de água por dia. Porém, essa quantidade depende de alguns fatores ambientais como o clima e a temperatura, assim como de fatores relacionados ao organismo do bebê, como por exemplo a produção de suor.

É importante se atentar a alguns sinais como a quantidade de vezes que a bebê urina e a sua cor, que deve ser bem clarinha. O normal é que uma criança troque de fralda em torno de 6 vezes por dia.

Também é importante observar se a criança está constipada, porque nesse caso é necessário oferecer uma quantidade um pouco maior de água, dada a sua importância no funcionamento intestinal.

É importante sempre oferecer água entre as refeições e com frequência durante o dia. Alguns bebês resistem a tomar a quantidade necessária de água pura, nesses casos é importante recorrer a outros meios, que você poderá ver na seção de dicas para evitar a constipação.

Fórmula infantil pode prender o intestino do bebê?

A princípio é importante esclarecer que a fórmula infantil não possui os mesmos componentes do leite materno. O objetivo da indústria é avançar na produção a ponto de deixar algo quase idêntico, mas isso ainda não foi alcançado.

Existem algumas fórmulas infantis que podem causar constipação nos bebês, isso depende tanto da tabela nutricional da fórmula como da reação do organismo do bebê.

Mas é claro que, se comparado ao leite materno, a fórmula infantil contribui menos para o trânsito intestinal da criança. Isso porque o leite naturalmente carrega probióticos, que são bactérias que colonizam o intestino e ajudam a melhorar a microbiota intestinal, além de colaborar com a saúde intestinal.

Preparação da Fórmula

Além disso, é preciso reparar nas orientações de preparação dessas fórmulas, pois muitas pessoas adicionam mais fórmula que o indicado e o excesso de cálcio pode constipar o bebê.

Nenhuma fórmula infantil brasileira tem probióticos e por isso alguns bebês podem estranhar a transição e alguns ficam constipados.

Outras causas da constipação

A constipação também é atribuída ao próprio desenvolvimento e formação do intestino do bebê, que por ainda estar em formação e adaptação é comum que aconteça alguns desequilíbrios.

Mesmo que seja algo comum nessa fase de Introdução Alimentar, a constipação em bebês pode ser algo incômodo tanto para eles quanto para os pais, que muitas vezes não sabem a causa nem como proceder nessa situação.

Além disso, essa constipação pode ser explicada pelo aumento do consumo de fibras, que, se não recebem a quantidade necessária de água para serem excretadas, ficam endurecidas e deixam as fezes ressecadas.

Frutas que prendem o intestino do bebê

Existem algumas frutas que têm tendência de prender mais o intestino devido a alguns componentes que elas trazem consigo. Porém, essas mesmas frutas proporcionam inúmeros benefícios nutricionais para o bebê, então não devem ser evitadas.

O recomendado é sempre buscar equilibrar o uso dessas frutas com alimentos mais laxativos, pois ambos são importantes para o bom funcionamento do organismo.

Um exemplo disso é a maçã sem casca. Essa fruta naturalmente prende o intestino do bebê, inclusive é muito recomendada em casos de diarreias.

Porém, há pouca chance dessa fruta se combinada com alguma fruta mais laxativa causar constipação. Pode-se optar por oferecer maçã raspada pela manhã e no período da tarde oferecer:  laranja, mamão ou abacate, por exemplo.

Frutas constipantes

Pode-se citar alguns exemplos de frutas que prendem o intestino do bebê, as mais populares no Brasil são:

  • Banana maçã;
  • Maçã sem casca;
  • Caju;
  • Goiaba;
  • Limão.

Porém, mesmo que elas possam vir a ter esse efeito, o bebê nunca deve ser privado dessas frutas. Lembre-se sempre que o que é mais benéfico é buscar o equilíbrio na alimentação.

Frutas para melhorar o funcionamento intestinal do bebê

Existem diversos vegetais que podem ser usados como aliados para melhorar o trânsito intestinal os bebês, que são chamados também de alimentos laxativos.

As frutas para melhorar o funcionamento intestinal do bebê

Separamos frutas na lista abaixo que são as melhores frutas para melhorar o intestino do bebê:

  • Mamão;
  • Laranja;
  • Ameixa;
  • Abacate.

Outras frutas que podem e devem ser usadas para evitar constipação é a manga, abacaxi, mexerica (ou tangerina), pêssego, kiwi, figo e pêra. No entanto, explicarei mais a fundo as quatro citadas em forma de lista.

Mamão

A forma mais indicada para o consumo é a natural, principalmente porque a textura torna o mamão fácil de ser amassado e consumido pelo bebê.

O mamão é rico em fibras e papaína, que ajuda no trânsito intestinal, e em outras substâncias, como betacaroteno, vitamina C e do complexo B, que atuam na positivamente na saúde do corpo humano. Por isso, é uma fruta indicada na Introdução Alimentar.

Porém, se você começar a perceber que seu bebê está ficando com os mãozinhas e pezinhos mais amarelados, pode ser que ele esteja consumindo muito mamão ou alimentos alaranjados. Isso acontece, pois os betacarotenos, são convertidos em vitamina A e essa vitamina é estocada no fígado. Quando essa vitamina está em excesso o bebê pode ficar com algumas partes do corpo mais “amarelinhas”. Nesse caso converse com seu pediatra ou nutricionista.

Laranja

Assim como o mamão, é importante que se ofereça a fruta in natura em pedaços. A laranja é rica em vitamina C e fibras, que proporcionam o bom funcionamento do intestino.

Ameixa

Essa fruta pode ser usada tanto para prevenir a constipação como em casos que já se sente os sintomas.

Pode-se optar pela versão desidratada (seca) ou a versão in natura. Na prática pode-se fazer o purê com a ameixa seca e misturar a frutas e papinhas que a criança já tenha costume de comer. Também pode-se oferecer a fruta in natura com cortes adequados para a idade. Além disso, ela pode ser usada para produzir uma água de ameixa, que você verá no último tópico desse texto.

Abacate

O abacate é rico em gorduras boas (mono e poliinsaturadas), que auxiliam na lubrificação do intestino e assim contribuem para o bom funcionamento intestinal. Além disso, essa fruta é rica em fibras: cerca de 100 gramas de abacate, contém 6,3 g totais de fibras e minerais importantes como:  magnésio, manganês e fósforo.

É essencial que seja ingerido in natura, para preservar as características nutricionais.

Alimentos Integrais na Introdução Alimentar

Diversos alimentos integrais podem ser usados nesse momento de Introdução Alimentar.

Vale ressaltar a importância de respeitar o tempo de cozimento de cada um, pois alguns têm a textura mais rígida, como o arroz integral, por isso precisam de mais tempo de cozimento para ser ingerido com segurança pelo bebê.

Alimentos Integrais na Introdução Alimentar

Alguns alimentos integrais que podem ser oferecidos aos bebês são: chia, quinoa, aveia, macarrão integral e outras opções. Não necessariamente deve-se optar apenas por integrais, mas os alimentos “brancos” também podem ser ingeridos pelos bebês, basta prezar pelo equilíbrio.

O importante é não se ater a alimentação da criança num só tipo de vegetal, fruta ou legume (assim como é recomendado para os adultos) e aumentar assim, o equilíbrio e a variedade de fontes nutricionais.

8 dicas para melhorar o funcionamento intestinal do bebê

Existem dicas simples e muito úteis para melhorar o funcionamento intestinal do bebê durante a fase de Introdução Alimentar.

8 dicas para melhorar o funcionamento intestinal do bebê

Confira a seguir uma lista com dicas para melhorar o funcionamento intestinal do bebê:

Oferecer pequenos goles de água frequentemente ao bebê

Algumas crianças têm resistência para aceitar tomar muita água e isso dificulta o processo de hidratação importante para as fibras e para o corpo como um todo.

O aconselhável é que nesses casos onde há resistência, se acrescente na água algumas gotinhas de laranja ou ofereça água aromatizada (com fruta) para que o bebê adquira gosto por beber água.

Com o passar do tempo, esses aromatizadores naturais podem ser substituídos por água pura, uma vez que a criança já se acostumou completamente com o líquido.

Varie a dieta de vegetais do bebê, inclusive as folhas

Para evitar que o bebê tenha uma alimentação monótona é imprescindível manter uma dieta variada.

Tente equilibrar sempre as frutas, legumes e verduras com efeitos mais laxativos. Busque também inserir sempre na alimentação as folhas e fibras para favorecer o trânsito intestinal. Além disso, não passe a papa do bebê na peneira, pois esse processo retira as fibras dos alimentos.

Mantenha o aleitamento materno ou faça a diluição correta da fórmula infantil

Essa prática vai garantir que a criança mantenha um bom funcionamento intestinal mesmo se outros alimentos forem inseridos na alimentação. O leite é rico em probióticos, bactérias que promovem o bom funcionamento do intestino.

Ofereça os feijões com os grãos, não só o caldinho

Ao contrário do que muita gente pensa, os bebês no início da Introdução Alimentar devem consumir as leguminosas secas (feijões, lentilha, ervilha e grão de bico), pois esse grupo alimentar é rico em fibras, e que consequentemente vai ajudar no bom funcionamento intestinal do bebê.

É claro que a textura deve ser adequada para a idade do bebê, mas basta amassar bem com o garfo e os pequenos vão se deliciar e se beneficiar com todas as vitaminas e minerais.

O caldo de feijão é rico em amido, que pode sim deixar o intestino do bebê mais preso.

A combinação do grão amassado com o caldo é um exemplo de combinação perfeita!

Utilize azeite nas papinhas

Parece estranho, mas você pode optar por finalizar as papinhas do bebê com uma colher de chá rasa de azeite de oliva. Essa gordura que é encontrada no azeite não faz mal e é saudável à criança, pelo contrário, pois lubrifica o intestino e favorece o trânsito intestinal.

Utilize sempre temperos naturais

Utilize sempre cebola, alho e demais temperos naturais. O alho e a cebola contêm substâncias prebióticas.

Alimentos ricos em substâncias prebióticas estimulam o crescimento e a ação de bactérias benéficas, favorecem o equilíbrio da microbiota intestinal e evitam a constipação.

Mantenha o equilíbrio entre os alimentos obstipantes e os alimentos laxativos

Nas papinhas é aconselhado sempre colocar um alimento obstipante, como por exemplo a batata, e combinar com algum mais laxativo, como a couve.

Alguns alimentos obstipantes podem ser batata, fubá e arroz branco.

Com uma alimentação equilibrada dificilmente seu bebê terá problemas de constipação.

Em caso de constipação, use ameixa!

Em casos onde o bebê já está em estado de constipação e demonstra muito incômodo, pode-se optar por uma receitinha simples que utilize ameixa.

Segue abaixo uma lista que mostra como você pode utilizar ameixa para reduzir a constipação:

Dica 1: Coloque duas ameixas de molho dentro de um copo de água filtrada na geladeira (cerca de 250 ml para esse total de ameixas);

  • Ofereça a água aos poucos durante o dia para o bebê;

Dica 2: Pode-se optar por cozinhar a ameixa para transformá-la em um purê;

  • O purê de ameixa pode ser misturado junto a papinhas ou ser misturado a frutas que o bebê já tem costume de comer.

Por mais que às vezes a constipação seja um problema relativamente comum e de fácil de resolução, é sempre importante conversar com o pediatra para ver se não existem outras causas envolvidas nessa constipação, como por exemplo: alergias alimentares.

Em caso de dúvidas ou se precisar de ajuda para equilibrar a dieta do seu bebê na fase de Introdução Alimentar, consulte sempre um Nutricionista Materno Infantil.

Nutricionista materno infantil On-line

Ficou com alguma dúvida?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Leia Mais

beneficios-amamentacao

Benefícios da Amamentação

Amamentar é muito mais do que nutrir a criança. É um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, com repercussões no estado nutricional da criança, além de ter implicações na saúde física e psíquica da mãe.

Consultório Anália Franco

Av. Regente Feijó, 944 – 7º andar - Anália Franco – São Paulo

Consultório Vila Clementino

R. Dr. Diogo de Faria, 892 - Vila Clementino - São Paulo

Paula Stancari © Copyright 2021. Todos os direitos reservados

Enviar
1
Ficou com alguma dúvida?
Olá!
Em que podemos lhe ajudar?